quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

manha,manha

Gente socorro! Como gêmeos podem ser tão diferentes? Mas ainda bem que são pois seria demais ter os dois tendo chiliques...
É o Matheus. Ele tá manhoso demais.... pra tudo é choro e eu não sei se dou bronca, castigo, tapa na bunda, converso explicando.... enfim.... já tentei todas essas opções.
Se ele tá cansado então é um fiasco. Briga, esperneia, berra, pede uma coisa e outra até que dorme.
A Luana ignora o comportamento dele. Continua o que estava fazendo e ainda canta!
Queria sugestões sobre como agir com isso para abreviar essa fase tão chatinha.

2 comentários:

Elaine Correa disse...

Ola Cris!vivi essa fase com emu filho maior e agora estou vivendo com minha filha e provavelmente vou viver com os gemeostmbm.Na epoca do meu filho,esgotei todas as alternativas igualmente a vc,mas o que resultou foi nao ceder as manhas e falar demonstrando desaprovaçao.Percebi que quanto mais eu alimentava a manha dele,mais manhoso ele ficava.Hj em dia é minha filha:grita(e como),briga,se joga...irritante.As vezes o castigo aq ajuda acabar com isso(mas explico q so a tiro do castigo quando parar com a birra e se continuar volto para o castigo de novo!)mas vc tmbm pode tentar algo como desviar a atençao na hora da birra.
B*

Roberta "Mimi" disse...

Oi Cris,
estamos vivendo situações semelhantes: o Miguel tem se mostrado muito mais manhoso e chorão, a Rutinha mais calma e centrada. Acho que pode ser temporário, ou mesmo características de temperamento, não gosto de rotular.
Tudo precisa ser avaliado: é ciúmes da irmã? tem dormido o suficiente? tem comido na hora certa? tem dente para nascer? precisa gastar mais energia???? Isso último ítem é clássico aqui em casa. Se o Miguel ficar em casa, num dia chuvoso por exemplo, ninguém aguenta.
O que funciona melhor por aqui: repreendo com poucas palavras, procuro não gritar (já fiz, e me senti péssima), sou firme, e... viro as costas. Ele continua chorando, mas acaba cedendo, pois não "alimentei" a birra dele. O que eles querem é chamar a atenção, e se tivermos outro chilique, parecemos tão imaturas quanto eles. Castigos e tapas não creio que sejam bons métodos, não creio que educam de fato.
Beijo e boa sorte,
Rô, mãe dos gêmeos Rute e Miguel